DIREITO HUMANO A ALIMENTACAO E SUSTENTABILIDADE NO SISTEMA ALIMENTAR

Autor(es):
Ferraz, Mariana Araujo
Editora:
PAULINAS
Código:
34825

De: R$ 51,80 Por: R$ 46,62 No boleto: R$ 46,62

Comprar

Disponibilidade sujeito a confirmação em nossas filiais.


O prazo para confirmação de estoque em nossas lojas é de 3 dias úteis + o prazo de entrega da transportadora.




Em caso de indisponibilidade: Prazo para encomenda do produto com nossos fornecedores 7 dias úteis + o prazo de entrega da transportadora.

Disponibilidade sujeito a confirmação em nossos fornecedores.

Calcule o frete e o prazo de entrega:PrazoValor

A autora apresenta sua pesquisa sobre a relação do direito humano à alimentação com a sustentabilidade e a construção de um sistema jurídico que visa proteger a dignidade humana e o meio ambiente com base na ética da solidariedade e da sustentabilidade. O objetivo final é contribuir para a adoção de novas práticas e novas políticas de produção de alimentos e a promoção da exigibilidade do direito à alimentação. O livro parte da constatação de que no mundo há bilhões de pessoas que passam fome ou sofrem de desnutrição por falta de alimentos suficientes e/ou de qualidade - apesar ou até em decorrência da chamada "Revolução Verde", que na verdade introduziu um modelo excludente de agricultura, além de outros problemas relacionados à contaminação e exaustão do solo. A industrialização é outro fator que condiciona negativamente a alimentação, por oferecer produtos altamente calóricos e de baixo valor nutricional, mas acessíveis à população de mais baixa renda, o que repercute em doenças como obesidade, hipertensão, diabetes, câncer, entre outras. Essa realidade opõe-se ao direito à alimentação como uma das liberdades básicas, qual seja, o direito de não passar necessidade, incluído na Declaração Universal dos Direitos Humanos em 1948 e detalhado no Pacto dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais na Assembleia das Nações Unidades em 1966, que estabeleceu o direito de toda pessoa estar protegida contra a fome e ter uma alimentação adequada, entre outros. Desde então, outros aspectos foram incorporados, como a disponibilidade (existência de alimento suficiente para suprir as demandas), a acessibilidade (física e economicamente, a todas as pessoas), a adequação (o alimento deve satisfazer as necessidades nutricionais, ser seguro para consumo, culturalmente aceitável, permitir o gozo de outros direitos humanos e respeitar o acesso à informação) e a salubridade (ser saudável, saboroso, variado, contribuindo para a saúde). Outro aspecto importante é a sustentabilidade dos processos de produção em termos sociais, ambientais, ecológicos, culturais, econômicos, territoriais e políticos. Segundo a autora, a responsabilidade primária para a concretização desse direito cabe aos Estados, que devem respeitá-lo, protegê-lo, promovê-lo e provê-lo, além de favorecer a cooperação para a viabilidade de um sistema alimentar saudável. Assim, a segurança alimentar estaria vinculada a ações de combate à pobreza e de ampliação da participação popular. Mas tais premissas n

Código de barras:
9788535642636
Dimensões:
21cm x14cm x
Edição:
1
Marca:
PAULINAS
ISBN:
9788535642636
ISBN13:
9788535642636
Número de páginas:
288
Peso:
400 gramas
  • Nome do Autor FERRAZ, MARIANA ARAUJO